Páginas

domingo, 17 de outubro de 2010

jogo da memória- frutas

Jogo da memória frutas e nomes


Jogo da memória feito de rótulos

Clique nas figuras abaixo para baixar um jogo de memória feito de rótulos. Os rótulos foram escolhidos para ajudar na alfabetização




quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Jogo da memória feito de rótulos

Jogo da memória feito com rótulo.


Oração do professor



Dai-me, Senhor, o dom de ensinar,

Dai-me esta graça que vem do amor.

Mas, antes do ensinar, Senhor,

Dai-me o dom de aprender.

Aprender a ensinar

Aprender o amor de ensinar.

Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre, como o amor.

De aprender sempre.

Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar.

Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe

Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.

Que meus conhecimentos não produzam orgulho,

Mas cresçam e se abasteçam da humildade.

Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas,

Mas animem as faces de quem procura a luz.

Que a minha voz nunca assuste,

Mas seja a pregação da esperança.

Que eu aprenda que quem não me entende

Precisa ainda mais de mim,

E que nunca lhe destine a presunção de ser melhor.

Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender,

Para que eu possa trazer o novo, a esperança,

E não ser um perpetuador das desilusões.

Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprender

Deixai-me ensinar para distribuir a sabedoria do amor.

Antonio Pedro Schlindwein

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Projeto Bichinhos do jardim

A professora Mauritane Medeiros desenvolveu um projeto muito interessante e lindo chamado " Bichinhos do jardim".  Gostei muito do projeto e quis compartilhar com vocês.
Parabéns professora por projeto tão criativo.


Vamos construir um Saci Pererê?

Vamos construir um saci pererê de dobraduras?
Dirvirtam-se

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Dever de casa - Dicas para os pais

O  LIVRO    PAIS EDUCADORES - é proibido proibir? de  Isabel Parolin traz conselhos interessantes para os pais sobre como lidar com questões do dia-a-dia das crianças. Faz contribuições significativas para a educação de crianças e jovens com autoridade e com afeto. Educadora bastante conceituada no país, reúne neste livro algumas questões muito debatidas por pais e educadores no que se refere ao comportamento de crianças e jovens. Aborda questões que se referem a todas as faixas etárias, como limites na educação de crianças bem pequenas, atitudes dos pais frente a tarefas escolares, modismos juvenis (piercing, roupas, programas), questões de violência, de gênero e de sexualidade.
O livro é da editora Mediação e tem o ISBN: 978958706381-6

Clique na figura abaixo para ler mais sobre o assunto.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Oração pelos pais

Dia dos Pais, tempo de pedir a Deus por essas figuras tão importantes em nossas vidas.

Clique na figura abaixo para ver a oração.


quarta-feira, 28 de julho de 2010

Atividade Dia dos Pais - produção de um livrinho

Dias dos Pais sempre causa algumas preocupações para os educadores. Fazemos sugestão de um livrinho que pode ser modificado de acordo com as necessidades e desejos das crianças e das professoras. As atividades podem ser completadas usando gravuras, desenhos, fotos e até pequenos textos produzidos pelas crianças. Sinta-se à vontade para acrescentar novas páginas, etc.
A atividade de carimbar pés e mãos pode ser um momento muito divertido para as crianças. Cuidado para não usar produtos que possam causar alergias.Seria interessante, se possível, envolver a mãe para colaborar com a produção da atividade.
Para turmas mais desenvoltas na escrita sugerimos  que escrevam um texto contando a história do pai. As informações podem ser obtidas junto à mãe, aos avós paternos e tios. 
Se a professora achar interessante pode elaborar  algumas entrevistas que poderão ser respondidas pelos avós, pela mãe e pelos tios e até amigos do pai.
A professora pode ainda criar oportunidades para a produção de pequenos textos e poemas. É uma data rica para desencadear oportunidades reais de escrita. 
No final do trabalho, a criança pode inserir uma pequena biografia de autor. 
A capa do trabalho pode ser trabalhada de várias formas, pode-se construir um belo envelope para guardar o `livrinho`
Clique na figura abaixo para obter uma sugestão de livrinho

Cartão Dia dos Pais

Escreva uma mensagem bem bonita para o papai!


Um cartão para homenagear o papai!!!




Dicas para a aula:




Seria interessante discutir com os alunos o gênero cartão. Quais seriam as funções sociais do cartão, ou seja, quando enviamos cartões, para que pessoas enviamos cartões, em que épocas enviamos cartões. 
Poderia também trazer para dentro da sala de aula vários tipos de cartões e explorá-los. Quando são enviados, as mensagens escritas, a intenção da pessoa que manda o cartão, o que sentimos ao receber um cartão. E outras questões que o/a professor/a achar interessante explorar. 
Seria interessante  também explorar a situação de comunicação, quem envia, quem recebe e como o cartão pode chegar até a pessoa que recebe.
Os alunos podem criar seus próprios cartões ou completar cartões semiprontos.
Criatividade é o que não falta a nossos educadores.

Feliz Dia dos Pais!!!

terça-feira, 27 de julho de 2010

Bilhete de boas vindas

As aulas estão retornando. Uma  mensagem de boas vindas é uma boa pedida.


Clique na figura abaixo

Salada de frutas




Salada de frutas

Acerola, abacaxi,
Abricó, abiu, amora,
Brejaúva, bacuri.

Carambola, cajá-manga,
Cambucá, caju, caqui.

Damasco, fruta-do-conde,
Framboesa... fruta-pão...



Goiaba, ginja, groselha,
Grumixama, guabiroba,
Ingá, jambo, jenipapo,
Jujuba, jabuticaba,
Limão, laranja e litchi.

Manga, mamão, mexerica,
Morango e maracujá.

Nêspera, noz, nectarina,
pequi, papaia, pitanga,
poncã, pêssego e quiuí.

Romã , sapoti, sapota,
Sapucaia, seringüela,
Tamarindo, tangerina,
Toranja, taperebá.
Uva, uvaia e Ubipitanga


Ciça


 ATIVIDADES PARA SEREM DESENVOLVIDAS COM O POEMA

                                                                                                                   Ciça

domingo, 23 de maio de 2010

Capas de cadernos

Sugestões de capa de cadernos para seus alunos:

terça-feira, 4 de maio de 2010

Homenagem para as mães

Uma homenagem para todas as mães e para aquelas ou aqueles que exercem o papel de mãe de alguém.
Clique aqui para ver.


domingo, 2 de maio de 2010

Lembrancinha para o Dia das Mães

Um lindo livro de receitas para a mamãe.
Clique nas figuras para obter o livro.







terça-feira, 20 de abril de 2010

Greve-salário-professores estaduais mineiros

Pode parecer um exagero, mas...



Quando postei essa charge achei-a um pouco exagerada, mas acontecimentos recentes levaram-me a repensar a situação. O professsor da rede estadual mineira tem um salário básico abaixo do salário mínimo. Não é capaz de suportar um mês de greve, pois não tem a menor chance de organizar qualquer poupança, assim após uma semana de paralisação o medo de panelas vazias e de contas para pagar já torna um pesadelo.
Hoje voltando de uma dessas greves curtíssimas, tivemos a notícia de que somos proibidos de merendar com os alunos.
Bem, colegas a situação descrita na charge acima vai se realizando mais rápido do que eu imaginava....
Vai ter bolsa família para o professor?

terça-feira, 30 de março de 2010

Acróstico da Páscoa

Páscoa- atividades de escrita

Atividades de escrita sobre a Páscoa



Docinho da Mamãe

DOCINHO DA MAMÃE.

INGREDIENTES:

1 LATA DE LEITE CONDENSADO;
1 PACOTE PEQUENO DE LEITE EM PÓ;
1 LATA PEQUENA DE NESCAU;
MEIO  PACOTE DE COCO RALADO

MODO DE FAZER:

MISTURE TODOS OS INGREDIENTES  E FAÇA BOLINHAS.

Poema para o dia das mães

Se Todas as Coisas Fossem Mãe

Se a lua fosse mãe, seria mãe das estrelas.
O céu seria sua casa, casa das estrelas belas.

Se a sereia fosse mãe, seria mãe dos peixinhos.
O mar seria um jardim e os barcos seus carrinhos.

Se a casa fosse mãe, seria a mãe das janelas.
Conversaria com a lua sobre as crianças estrelas
Falaria de receitas, pastéis de vento, quindins.
Emprestaria a cozinha pra lua fazer pudins !!!!

Se a terra fosse mãe, seria a mãe das sementes.
Pois mãe é tudo que abraça, acha graça e ama a gente.

Se uma fada fosse mãe, seria a mãe da alegria.
Toda mãe é um pouco fada...
Nossa mãe fada seria.

Se a bruxa fosse mãe, seria uma mãe gozada;
Seria a mãe das vassouras, da família vassourada.

Se a chaleira fosse mãe, seria a mãe da água fervida,
Faria chá e remédio para as doenças da vida.

Se a mesa fosse mãe, as filhas, sendo cadeiras,
Sentariam comportadas, teriam boas maneiras.

Cada mãe é diferente. Mãe verdadeira ou postiça,
Mãe vovó ou mãe titia, Maria, Filó, Francisca,
Gertrudes, Malvina, Alice.

Toda Mãe é como eu disse!

Dona Mamãe ralha e beija, erra, acerta,
arruma a mesa, cozinha, escreve, trabalha fora,
Ri, esquece, lembra e chora,

Traz remédio e sobremesa...

... Tem até pai que é "tipo mãe"...

Esse, então, é uma beleza !!!!!

Assim é a minha mãe !!!!!!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Datas comemorativas do mês de março


2 · Dia Nacional do Turismo
02 . Dia da Oração
03 · Dia do Meteorologista
05 · Dia do Filatelista Brasileiro
07 · Dia do Fuzileiros Navais
08 · 
Dia Internacional da Mulher
10 · Dia do Telefone
10 - Dia do Sogro
12 - Aniversário de Recife (468 anos) e Olinda (470 anos)
12 · Dia do Bibliotecário
14 · Dia do Vendedor de Livros
14 · Dia Nacional da Poesia
14 · Dia dos Animais
15 · Dia da Escola
15 · Dia Mundial do Consumidor
19 · Dia de São José
19 · Dia do Carpinteiro
19 · Dia do Marceneiro

20 · Início do outono
20 . dia do contador de Histórias
21 · Dia Universal do Teatro
21 · Dia Internacional Contra a Discriminação Racial
21 . Dia Universal do Teatro
22 . Dia Mundial da Água
23 · Dia Mundial da Meteorologia
26 · Dia do Cacau
27 · Dia do Circo
28 · Dia do Diagramador
28 · Revisor
30 . Dia Mundial da Juventude
31 · Dia da Integração Nacional
31 · Dia da Saúde e Nutrição
31 . Aniversário do Golpe Militar - 1964

 

quarta-feira, 10 de março de 2010

Teatro para Páscoa







A Páscoa está se aproximando. Que tal uma pequena encenação para comemorar essa data tão importante para os cristãos?


Clique na figura abaixo para baixar o texto:


Lista de palavras para todas as letras do alfabeto

Uma lista de palavras muito útil para professoras alfabetizadoras.


Clique no desenho abaixo:

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

O HOMEM E A MULHER
Victor Hugo



O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.

Deus fez para o homem um trono.
Para a mulher, um altar.
O trono exalta.
O altar santifica.

O homem é o cérebro; a mulher é o coração.
O cérebro fabrica a luz; o coração produz Amor.
A luz fecunda.
O Amor ressuscita.

O homem é forte pela razão.
A mulher é invencível pelas lágrimas.
A razão convence.
As lágrimas comovem.

O homem é capaz de todos os heroísmos.
A mulher, de todos os martírios.
O heroísmo enobrece.
O martírio sublima.

O homem tem a supremacia.
A mulher, a preferência.
A supremacia significa a força.
A preferência representa o direito.

O homem é um gênio; a mulher, um anjo.
O gênio é imensurável; o anjo, indefinível.
Contempla-se o infinito.
Admira-se o inefável.

A aspiração do homem é a suprema glória.
A aspiração da mulher é a virtude extrema.
A glória faz tudo grande.
A virtude faz tudo divino.

O homem é um código.
A mulher, um evangelho.
O código corrige.
O evangelho aperfeiçoa.

O homem pensa.
A mulher sonha.
Pensar é ter no crânio uma larva.
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano.
A mulher um lago.
O oceano tem a pérola que adorna.
O lago, a poesia que deslumbra.

O homem é a águia que voa.
A mulher é o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço.
Cantar é conquistar a alma.

O homem é um templo.
A mulher é o sacrário.
Ante o templo nos descobrimos.
Ante o sacrário nos ajoelhamos.

Enfim, o homem está colocado onde termina a terra.
E a mulher onde começa o céu.



PARABÉNS MULHERES

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Atividades de leitura - pequenos textos

Clique na figura abaixo para baixar atividades de leitura envolvendo pequenos textos.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Informações sobre a Provinha Brasil

É de interesse de todo professor alfabetizador conhecer melhor a Provinha Brasil. Clique na figura a seguir para obter algumas dessas informações.

Níveis de alfabetização

Hipótese pré-silábica

 A criança não registra traços no papel com a intenção de realizar o registro sonoro do que foi proposto para a escrita

Nível 1 – Escrita indiferenciada

 Baixa diferenciação entre a grafia de uma palavra e outra;
 Traços semelhantes entre si;
 Traços descontínuos – se a criança tem maior contato com letras de imprensa;
 Traços contínuos – se a criança tem mais contato com a escrita com letra cursiva;
 O que diferencia uma palavra da outra é a intenção do produtor, portanto, a interpretação só poderá ser feita por quem escreveu;
 Muitas vezes a criança não consegue identificar o que escreveu – leitura instável;
 Costumam grafar palavras de acordo com o tamanho do que está representando;
 Algumas vezes usam como estratégia o pareamento de desenhos com as palavras – para poder ler com mais segurança – mas também pode caracterizar uma certa insegurança ao decidir que letras deva usar. Essa dificuldade acontece porque ainda não compreendem a função da escrita e confundem o que é escrita com desenhos.

Nível 2 – Diferenciação da escrita

 A característica principal das escritas desse nível é a tentativa sistemática de criar diferenciações entre os grafismos produzidos; mas a escrita continua não analisável em partes levando a criança a interpretá-la globalmente;
 Hipótese da quantidade mínima de caracteres e a necessidade de variá-los;
 Já possuem a intenção de objetivar as diferenças do significados das palavras;
 Arranjam as letras que conhecem – por poucas que sejam
 Na figura abaixo, Bárbara demonstra notável aquisição cognitiva quando arranja as 6 letras que conhece (I-E-A-F-L-P) de forma a representar as palavras sugeridas
 Nesta idade ainda não tem mecanismo para comparar palavras que não estejam próximas.
 Neste nível poderá ter se apropriado de algumas escritas estáveis – principalmente do próprio nome

Hipótese silábica

 A criança inicia a tentativa de estabelecer relações entre o contexto sonoro da linguagem e o contexto gráfico do registro;
 A estratégia da criança é a de atribuir a cada letra ou marca escrita o registro de uma sílaba falada; essa marca poderá ser uma letra (com valor sonoro convencional ou não), pseudoletra, número;
 A criança começa a perceber que a escrita representa partes sonoras da fala;
 Conflito, principalmente quando tem que escrever palavras monossílabas – para eles é necessário um número mínimo de letras para cada palavra;
 Muitas vezes enxertam letras no meio ou final das palavras para que possa parecer estar escrito uma palavra correta;
 Não é necessário empregar o valor sonoro convencional das letras – P poderá representar a sílaba BA, por exemplo.
 Esse conflito (número mínimo de letra), acaba por ser deixado de lado, num determinado momento da evolução da criança predominando apenas a lógica da hipótese silábica .

Hipótese silábico-alfabética

 Neste nível a criança utiliza a hipótese silábica e alfabética da escrita, ao mesmo tempo - momento de transição: a criança não abandonou a hipótese anterior, mas já ensaia novos avanços.
 Esses avanços só podem ocorrer se forem oferecidas informações às crianças através de formas fixas que permitam o refinamento da aprendizagem do valor sonoro convencional das letras e das oportunidades de comparar os diversos modos de interpretação da mesma escrita.

Hipótese alfabética

 Aqui a criança já venceu todos os obstáculos conceituais para a compreensão da escrita – cada um dos caracteres da escrita corresponde a valores sonoros menores que a sílaba – e realiza sistematicamente uma análise sonora dos fonemas das palavras que vai escrever.
 Não há a superação total dos problemas – ainda não domina as regras normativas da ortografia.
 Nesta produção, a criança dominou o código da escrita, mas não as regras ortográficas – perceba que ela não teve medo de escrever, o que não ocorre com a maioria das crianças quando iniciam a escolaridade;
 Essa inconstância com a ortografia não é permanente e a superação das falas depende de ensino sistemático, já que não são dedutíveis como a construção da escrita.

Clique na figura a seguir para obter uma tabela de desenvolvimento da escrita.

Sugestões de atividades para alfabetização


49 IDÉIAS SOBRE ALFABETIZAÇÃO


Use jogos educativos nas suas aulas.

- Desenvolva atividades lúdicas com seus alunos.

- Procure introduzir cada novo conteúdo de forma diferente.

- Mude a disposição das cadeiras e mesas na sala de aula.

- Faça os alunos participarem das aulas.

- Troque de ambiente e dê aula no pátio da escola, por exemplo.

- Explore cartazes, vídeos, filmes.

- Traga jornais e revistas para a sala de aula.

- Aproveite todo o ambiente escolar.

- Crie aulas diferentes e divertidas.

- Elabore situações problemas para os seus alunos resolverem.

- Busque auxílio nos meios de comunicação.

- Troque experiências com os colegas.

- Valorize as opiniões de seus alunos.

- Peça sugestões aos seus alunos quando for preparar suas aulas.

- Faça trabalhos em pequenos grupos ou grupos sucessivos.

- Solicite uma avaliação das suas aulas aos seus alunos.

- Incentive e estimule a aprendizagem dos seus alunos.

- Deixe transparecer que você acredita e valoriza o seu trabalho.
(Artigo de Maria Luiza Kraemer)

Jogos e atividades - ALFABETIZAÇÃO

Analise cada jogo abaixo e aplique aos alunos de forma a ajudarem a refletirem sobre a escrita e leitura.


1- Jogo dos 7 erros : a profª elabora uma lista de palavras e, em 7 delas, substitui uma letra por outra que não faça parte da palavra. A criança deve localizar essas 7 substituição.



2- Jogo dos 7 erros : a profª elabora uma lista de palavras e, em 7 delas, inverte a ordem de 2 letras (ex: cachorro – cachroro). A criança deve achar esses 7 erros.



3- Jogo dos 7 erros : a profª elabora uma lista de palavras e, em 7 delas, omite uma letra. O aluno deve localizar os 7 erros.



4- Jogo dos 7 erros : a profª elabora uma lista de palavras e, em 7 delas, acrescenta 1 letra que não existe. A criança deve localizar quais são elas.



5- Jogo dos 7 erros : a profª escreve um texto conhecido (musica, parlenda, etc.) e substitui 7 palavras por outras, que não façam parte do texto. O aluno deve achar quais são elas.



6- Jogo dos 7 erros : a profª escreve um texto conhecido (musica, parlenda, etc.) e omite 7 palavras. O aluno deve descobrir quais são elas.



7- Jogo dos 7 erros : a profª escreve um texto conhecido (musica, parlenda, etc.) e inverte a ordem de 7 palavras. O aluno deve localizar essas inversões.



8- Jogo dos 7 erros: a profª escreve um texto conhecido (musica, parlenda, etc.) e acrescenta 7 palavras que não façam parte dele. A criança deve localizar quais são elas.



9- Caça palavras: a profª monta o quadro e dá só uma pista: "Ache 5 nomes de animais" por exemplo.



10- Caça palavras : a profª monta o quadro e escreve, ao lado, as palavras que o aluno deve achar.



11- Caça palavras no texto: a profª dá um texto ao aluno e destaca palavras a serem encontradas por ele, dentro do texto.



12- Jogo da memória : o par deve ser composto pela escrita da mesma palavra nas duas peças, sendo uma em letra bastão, e a outra, cursiva.



13- Jogo da memória: o par deve ser idêntico e, em ambas as peças, deve haver a figura acompanhada do nome.



14- Jogo da memória: o par deve ser composto por uma peça contendo a figura, e a outra, o seu nome.



15- Cruzadinha: A profª monta a cruzadinha convencionalmente, colocando os desenhos para a criança pôr o nome. Mas, para ajudá-las, faz uma tabela com todas as palavras da cruzadinha em ordem aleatória. Assim, a criança consulta a tabela e "descobre" quais são os nomes pelo número de letras, letra inicial, final, etc.



16- Cruzadinha: A profª monta a cruzadinha convencionalmente, colocando os desenhos para a criança pôr o nome. Mas, para ajudá-las, faz um quadro com todos os desenhos e seus respectivos nomes, para que a criança só precise copiá-los, letra a letra.



17- Cruzadinha: A profª monta a cruzadinha convencionalmente, colocando os desenhos para a criança escreva seus nomes.



18- Bingo de letras : as cartelas devem conter letras variadas. Algumas podem conter só letras do tipo bastão; as outras, somente cursivas; e outras, letras dos dois tipos, misturadas.



19- Bingo de palavras: as cartelas devem conter palavras variadas. Algumas podem conter só palavras do tipo bastão; as outras, somente cursivas; e outras, letras dos dois tipos.



20- Bingo: a profª deve eleger uma palavra iniciada por cada letra do alfabeto e distribuí-las, aleatoriamente, entre as cartelas. (+/- 6 palavras por cartela). A profª sorteia a letra e o aluno assinala a palavra sorteada por ela.



21- Bingo : as cartelas devem conter letras variadas. A profª dita palavras e a criança deve procurar, em sua cartela, a inicial da palavra ditada.



22- Quebra cabeça de rótulos : a profª monta quebra cabeças de rótulos e logomarcas conhecidas e, na hora de montar, estimula a criança a pensar sobre a "ordem das letras"



23- Dominó de palavras: em cada parte da peça deve estar uma palavra, com a respectiva ilustração.



24- Ache o estranho: a profª recorta, de revistas, rótulos, logomarcas, embalagens, etc. Agrupa-os por categoria, deixando sempre um "estranho" (ex: 3 alimentos e um produto de limpeza; 4 coisas geladas e 1 quente; 3 marcas começadas por "A" e uma por "J"; 4 marcas com 3 letras e 1 com 10, etc.) Cola cada grupo em uma folha, e pede ao aluno para achar o estranho.



25- Procure seu irmão : os pares devem ser um rótulo ou logomarca conhecidos e, seu respectivo nome, em letra bastão.



26- "Procure seu irmão": os pares devem ser uma figura e sua respectiva inicial.



27) Jogo do alfabeto: Utilize um alfabeto móvel (1 consoante para cada 3 vogais).

Divida a classe em grupo e entregue um jogo de alfabeto para cada um.

Vá dando as tarefas, uma a uma:

v levantar a letra ___

v organizar em ordem alfabética

v o professor fala uma letra e os alunos falam uma palavra que inicie com ela.

v formar frases com a palavra escolhida

v formar palavras com o alfabeto móvel

v contar as letras de cada palavra

v separar as palavras em sílabas

v montar histórias com as palavras formadas

v montar o nome dos colegas da sala

v montar os nomes dos componentes do grupo



28) Pares de Palavras

Objetivo: utilizar palavras do dicionário

Destreza predominante: expressão oral

Desenvolvimento: O professor escolhe algumas palavras e as escreve na lousa dentro de círculos (1 para cada palavra). Dividir a classe em duplas. Cada dupla, uma por vez, dirigir-se-á até a lousa e escolherá um par de palavras formando uma frase com elas. A classe analisará a frase e se acharem que é coerente a dupla ganha 1 ponto e as palavras são apagadas da lousa. O jogo termina quando todas as palavras forem apagadas.



29) Formando palavras

Número de jogadores: 4 por grupo.

Material: 50 cartões diferentes (frente e verso) – modelo abaixo.






Um kit de alfabeto móvel por grupo (com pelo menos oito cópias de cada letra do alfabeto)

Desenvolvimento: Embaralhe os cartões e entregue dez deles para cada grupo;
Marque o tempo – 20 minutos – para formarem a palavra com o alfabeto móvel no verso de cada desenho. Ganha o jogo o grupo que primeiro preencher todos os cartões.

Variações:
Classificar (formar conjuntos) de acordo:

v com o desenho da frente dos cartões;

v com o número de letras das palavras constantes dos cartões;

v com o número de sílabas das palavras dos cartões;

v com a letra inicial;

Profª Lourdes Eustáquio Pinto Ribeiro

(didatica@didatica.com.br - http://www.didatica.com.br)



30) Treino de rimas

Várias cartas com figuras de objetos que rimam de três formas diferentes são colocadas diante das crianças. Por exemplo, pode haver três terminações: /ão/, /ta/, /ço/. Cada criança deve então retirar uma carta, dizer o nome da figura e colocá-la numa pilha com outras figuras que tenham a mesma rima. O teste serve para mostrar as palavras que terminam com o mesmo som. Ao separá-las de acordo com o seu final, juntam-se as figuras em três pilhas com palavras de terminações diferentes.



31) Treino de aliterações

Em uma folha com figuras, a criança deve colorir as que comecem com a mesma sílaba de um desenho-modelo (por exemplo, desenho-modelo: casa; desenhos com a mesma sílaba inicial: caminhão, cama, caracol; desenhos com sílabas iniciais diferentes: xícara, galinha, tartaruga). A mesma atividade pode ser depois repetida enfatizando-se a sílaba final das palavras (por exemplo, desenho-modelo: coração; desenhos com o mesmo final: televisão, leão, balão, mão; desenhos com finais diferentes: dado, uva, fogo).



32) Treino de consciência de palavras

Frases com palavras esquisitas, que não existem de verdade, são ditadas para a criança, que deve corrigir a frase. Substitui-se a pseudopalavra por uma palavra correta. Por exemplo, troca-se "Eu tenho cinco fitos em cada mão" por "Eu tenho cinco dedos em cada mão". Nesse jogo, palavras irreais são trocadas por palavras que existem de verdade, deixando a frase com sentido. Mostra-se que, ao criar frases com palavras que não existem, essas não têm significado.



33) Batucando

A professora fala uma palavra e o aluno "batuca" na mesa de acordo com o número de silabas.



34) Adivinha qual palavra é: A professora fala uma palavra (BATATA) e os alunos repetem omitindo a sílaba inicial (TATA) ou a final (BATA)



35) Lá vai a barquinha carregadinha de ...

A professora fala uma sílaba e as crianças escolhem as palavras.



36) Adivinhando a palavra

O professor fala uma palavra omitindo a silaba final e os alunos devem adivinhar a palavra. (ou a inicial)



37) Quantas sílabas? A professora fala uma palavra e a criança risca no papel de acordo com o número de sílabas (ou faz bolinhas)



38) Descoberta de palavras com o mesmo sentido

Ajude o aluno a perceber que o mesmo significado pode ser representado por mais de uma palavra. Isso é fácil de constatar pela comparação de frases como as que se seguem:

* O médico trata dos doentes
* O doutor trata dos doentes

Forneça, em frases, exemplos do emprego de sinônimos de uso comum como:

* Bonita, bela;
* Malvado, mau;
* Rapaz; moço
* Bebê; neném;
* Saboroso; gostoso



39) Descoberta de palavras com mais de um significado

Com essa atividade, os alunos perceberão que palavras iguais podem ter significados diferentes. Ajude-os a formar frases com as palavras: manga, botão, canela, chato; corredor; pena, peça; etc



40) Respondendo a perguntas engraçadas

Faça-as pensar sobre a existência de homônimos através de brincadeiras ou adivinhações:

* a asa do bule tem penas?
* O pé da mesa usa meia?
* A casa do botão tem telhado?



41) Escrita com música: 1) dividir os alunos em equipes de 4 elementos; 2) distribuir, entre as equipes, uma folha de papel; 3) apresentar às equipes uma música previamente selecionada pelo professor; 4) pedir que o aluno 1 de cada uma das equipes registre, na folha, ao sinal dado pelo professor, suas idéias, sentimentos, emoções apreendidas ao ouvir a música; 5) solicitar-lhe que, findo o seu tempo, passe a folha ao aluno 2, que deverá continuar a tarefa. E assim sucessivamente, até retornar ao aluno 1, que deverá ler o produto final de todo o trabalho para toda a classe.

Observação: a folha de papel deverá circular no sentido horário.



42) Conversa por escrito: 1) dividir a classe em duplas; 2) entregar a cada uma das duplas uma folha de papel; 3) pedir às duplas que iniciem uma conversa entre seus elementos (ou pares), mas por escrito.

Observações: 1) a dupla poderá conversar sobre o que quiser, mas deverá registrar a conversa na folha recebida; 2) a dupla não precisará ler sua conversa à classe; apenas o fará, se estiver disposta a tanto.

Objetivo específico dessa atividade: ensejar a reflexão sobre as diferenças entre a linguagem oral e a escrita.



43) Interpretando por escrito: 1) dividir os alunos em equipes de 4 elementos cada uma; 2) numerá-los de 1 a 4; 3) distribuir, entre as mesmas, pequenas gravuras (se possível de pinturas abstratas); 4) solicitar que cada uma das equipes registre, por escrito, o que entendeu sobre os quadros propostos; 5) ler as interpretações obtidas.



44) Brincando com as cores: 1) dividir a classe em equipes de 4 elementos; 2) numerar os participantes de cada uma; 3) distribuir, entre elas, as cores: atribuir uma cor (vermelho, verde, amarelo, azul, etc.) a cada uma das equipes ou grupos; 4) pedir que cada um dos elementos de cada uma das equipes registre, numa folha de papel que circulará entre os participantes, suas impressões a respeito da cor recebida; 5) solicitar das equipes a leitura das impressões registradas.

Observações: a mesma atividade poderá ser realizada, mas sem a entrega de cores às equipes. Neste caso, cada um dos grupos deverá produzir um pequeno texto sobre uma cor, sem nomeá-la, mas procurando "dar pistas" a respeito da mesma, a fim de que os colegas possam descobri-la. Algumas equipes poderão ler seus textos e, se a cor não for descoberta, o professor poderá organizar uma discussão sobre esse fato, apontando, alguns fatores que talvez tenham dificultado a não identificação. Outra atividade com cores poderá ser a dramatização por meio de gestos, ou mímica, de uma cor escolhida pela(s) equipe(s).



45) Compondo um belo texto-poema:1) dividir os alunos em equipes ou grupos; 2) indicar a cada uma três substantivos - chave do poema: mar, onda, coqueiro; 3) marcar, no relógio, 10 (dez) minutos para a composição dos poemas; 5) expor, no mural de classe, os textos produzidos pelas equipes.



46) Cinema imaginário: 1) dividir a sala em equipes ou grupos; 2) apresentar às equipes três ou quatro trechos (curtos) de trilhas sonoras de filmes; 3) solicitar que os alunos imaginem cenas cinematográficas referente às trilhas ouvidas; 4) interrogar os alunos sobre o que há de semelhante e o que há de diferente nas cenas imaginadas por eles.

"A partir das respostas a essas perguntas, o professor discutirá, com os alunos, o papel do conhecimento prévio e o das experiências pessoais e culturais que compartilhamos, para que possamos compreender textos (verbais, não-verbais, musicados, ...)



47) Criação de um país imaginário: 1) dividir os alunos em equipes ou grupos; 2) pedir-lhes que produzam um texto, com ou sem ilustração, descrevendo um país imaginário, de criação da equipe; 3) solicitar que cada uma dessas leia para as demais o texto produzido por ela; 4) afixar, no mural da sala, os textos produzidos pelas equipes.



48) " Se eu fosse ...": 1) dividir a classe em equipes ou grupos; 2) pedir que cada uma complete as lacunas ou pontilhado com o nome de um objeto, animal, planta, personagem ou personalidade humana que gostaria de ser; 3) solicitar que escrevam e/ou desenhem a respeito do que gostariam de ser; 4) pedir que exponham suas produções aos colegas; 5) sugerir que as coloquem no mural ou varal de classe.



49) Homem e natureza ou homem x ecologia: 1) dividir a classe em equipes ou grupos; 2) pedir que ouçam as canções "Sobradinho" – Sá e Guarabira ( disco 10 anos juntos, BME – RCA, CD ou DVD) e "Passaredo" – Francis Hime e Chico Buarque ("Meus caros amigos" – Philips); 3) explicar aos alunos o seguinte: a canção "Sobradinho" trata do rio São Francisco, que nasce na região Sudeste e deságua na região Nordeste do país, e das conseqüências do represamento dessas águas para a população que vivia nos municípios de Remanso, Casa Nova, Santo Sé, Pilão Arcado... com a construção de uma barragem no salto do Sobradinho. A canção "Passaredo", por sua vez, focaliza a destruição da fauna e o desequilíbrio do ecossistema, provocados pelo homem; 4) solicitar às equipes que comentem, escrevam e/ou desenhem sobre o que compreenderam a respeito de cada uma das canções ouvidas por eles.

Incentivar boas maneiras

Uma gravura para incentivar  boas maneiras em nossas crianças

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Observando o ponto de vista

O texto a seguir é interessante para discutir com os alunos os diferentes pontos de vistas de uma situação. Cada um vê a realidade de acordo com suas experiências.


A CHUVA

Millôr Fernandes


NÃO CHOVIA HÁ MUITOS E MUITOS MESES, DE MODO QUE OS ANIMAIS FICARAM INQUIETOS. UNS DIZIAM QUE IA CHOVER LOGO, OUTROS DIZIAM QUE AINDA IA DEMORAR. MAS NÃO CHEGAVAM A UMA CONCLUSÃO.
            - CHOVE SÓ QUANDO A ÁGUA CAI DO TELHADO DO MEU GALINHEIRO – ESCLARECEU A GALINHA.
          - ORA, QUE BOBAGEM! – DISSE O SAPO DE DENTRO DA LAGOA. – CHOVE QUANDO A ÁGUA DA LAGOA COMEÇA A BORBULHAR SUAS GOTINHAS.
            - COMO ASSIM? – DISSE A LEBRE. – ESTÁ VISTO QUE SÓ CHOVE QUANDO ASFOLHAS DAS ÁRVORES COMEÇAM, A DEIXAR CAIR AS GOTAS D’ÁGUA QUE TEM DENTRO.
           NESSE MOMENTO COMEÇOU A CHOVER.
            - VIRAM? – GRITOU A GALINHA. – O TELHADO DO MEU GALINHEIRO ESTÁ PINGANDO. ISSO É CHUVA!
            - ORA, NÃO VÊ QUE A CHUVA É A ÁGUA DA LAGOA BORBULHANDO? – DISSE O SAPO.
            - MAS, COMO ASSIM? – TORNOU A LEBRE. – PARECEM CEGOS! NÃO VEEM QUE A ÁGUA CAI DAS FOLHAS DAS ÁRVOR
Um texto interessante para puxar pela criativadade dos alunos

O que você levaria para Lua?

                                                                     Cáthia de Almeida


            Se um dia eu for à Lua, levarei galhos e gonfetes. Respondeu Guilherme sem encontrar nada muito legal que começasse com a primeira letra de seu nome.
            - Galhos e gonfetes?!!! – estranhou a professora.
            - Galhos pra enfeitar e gonfetes pra comer. Explicou o menino um pouco insatisfeito.
            - E o que mais você levaria?
            - Goluções. Disse em tom de brincadeira.
            - Goluções pra quê? Assustou-se a professora.
            - Goluções pra resolver os problemas que o Paulo vai levar pra lá.
            A classe inteira riu.
            - Mas a Solange poderia levar soluções e a Carina, confetes – comentou a professora.
            - Mas as minhas goluções são mais lógicas e mais práticas.
            Solange que observava atentamente a brincadeira defendeu-se:
            - Mas eu levaria solidariedade, saúde e sabedoria.
            Guilherme remediou ironizando:
            - Solidão e saudade também.
            Ricardo que andava de namorico com Solange resolveu entrar na brincadeira.
            - Mas eu levaria um tremendo rock pra esquecer da saudade e acabar com a solidão.
            - E a Dorinha levaria a dança.
            - E eu levaria conforto, carinho e chocolate – disse Carina apressadamente.
            - Eu levaria alimentos, amor, amizade e alguma coisa do meu quarto. Acrescentou Alexandre.
            - Tereza, você pode levar televisão, telefone e ternura – cochichou Guilherme, um pouco preocupado por não encontrar nada que valesse a pena com a letra G.
            As crianças, entusiasmadas com a brincadeira, saltavam gritando e falando, todas ao mesmo tempo, inúmeras coisas que levariam para a Lua.
            Guilherme pensava quieto: “Guloseimas, goma de mascar, gravata, gatos, grilos, garrafas, girafa...” Até que surgiu a palavra que ele queria, uma que tivesse valor e depois, outra e mais outra:
            - Genialidade, gentileza e glória! – gritou orgulhoso.
            Assim a lista ficou completa. Nídia levaria o Natal.
           

            Pedro, presentes. E Zilda, que não queria levar nem zebra nem zabumba, levaria Ziraldo ( escritor ), Zico ( jogador de futebol ) e o Zequinha do programa de TV – porque ela é fã n.º 1 deles.
 E você, se fosse pra Lua, o que levaria?

Adivinhações- o que é ...o que é...

Tem coroa e não  é rei, tem raiz mas não é planta.
R: dente
Casinha branca de bom parecer não há carpinteiro que possa fazer.
R: ovo
O que é que fica quieto em seu cantinho  mas percorre o mundo e passa em qualquer lugar?
R: selo
O que é que não
tem perna mas vai e vem não tem língua mas fala bem ?
R: carta

O que é que fica no fim do infinito:
R: o
O que é que sobe no céu sem escada nem asas?
R: fumaça
O que é que não faz nada de errado e apanha sem parar?
R: tambor
Na água nasci na água me criei, se na água me jogarem na água morrerei .
R: sal



Seguidores

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto

Professora da Educação Básica, atuando também na universidade. Doutoranda, procuro entender os processos cognitivos envolvidos na produção da referenciação em textos narrativos.