Páginas

sábado, 16 de janeiro de 2010

Primeira reunião de pais - texto de sensibilização

Primeira reunião de pais é sempre um sufoco para a escolha de uma mensagem legal e que dê o recado.
Recebi da professora Mary Aguiar um sugestão que gostei muito e gostaria de partilhar. A professora explica como conduziu a reunião:

Quando os pais entravam para o local de nossa reunião, eu entregava uma bolinha de algodão, eles entravam sem entender nada. 



**Um Floquinho de Algodão**
Havia uma pequena aldeia onde o dinheiro não entrava.
Tudo o que as pessoas compravam, tudo o que era cultivado e produzido 

por cada um, era trocado. 





A coisa mais importante, a coisa mais valiosa, era a Amizade.
Quem nada produzia, quem nao possuía coisas que pudessem ser trocadas


 por alimentos, ou utensílios, dava seu CARINHO.

O CARINHO era simbolizado por um floquinho de algodão. Muitas vezes, 

era normal que as pessoas trocassem floquinhos sem querer nada em troca.


 As pessoas davam seu CARINHO pois sabiam que receberiam outros num 
outro momento ou outro dia.

Um dia, uma mulher muito má, que vivia fora da aldeia, convenceu um pequeno
garoto a nao mais dar seus floquinhos. Desta forma, ele seria a pessoa mais
rica da cidade e teria o que quisesse.

Iludido pelas palavras da malvada, o menino, que era uma das pessoas 

mais populares e queridas da aldeia, passou a juntar CARINHOS e em 
pouquíssimo tempo sua casa estava repleta de floquinhos, ficando até difícil 
de circular dentro dela.

Daí então, quando a cidade já estava praticamente sem floquinhos, as pessoas
começaram a guardar o pouco CARINHO que tinham e toda a HARMONIA

 da cidade desapareceu. 





Surgiram a GANÂNCIA, a DESCONFIANÇA, o primeiro ROUBO, o ÓDIO, 



a DISCÓRDIA, as pessoas se XINGARAM pela primeira vez e passaram 
a IGNORAR-SE pelas ruas.

Como era o mais querido da cidade, o garoto foi a primeiro a sentir-se TRISTE
e SOZINHO, o que o fez o menino procurou a velha para perguntar-lhe 

e dizer-lhe se aquilo fazia parte da riqueza que ele acumularia. 





Nao a encontrando mais, ele tomou uma decisão. Pegou uma grande carriola,



 colocou todos os seus floquinhos em cima e caminhou por toda a cidade 
distribuindo aleatoriamente seu CARINHO. A todos que dava CARINHO,
 apenas dizia: "Obrigado por receber meu carinho".

Assim, sem medo de acabar com seus floquinhos, ele distribuiu até o último

CARINHO sem receber um só de volta.

Sem que tivesse tempo de sentir-se sozinho e triste novamente, alguém caminhou
até ele e lhe deu CARINHO. Um outro fez o mesmo...Mais outro...e outro...até
que definitivamente a aldeia voltou ao normal.



e eu terminei falando assim: esse é meu floquinho de algodão pra vc! Pois é assim que pretendo conduzir meu trabalho. Com muito carinho e dedicação.


Parabéns Professora Myrian por tão bela sugestão!

Um comentário:

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Professora da Educação Básica, atuando também na universidade. Doutoranda, procuro entender os processos cognitivos envolvidos na produção da referenciação em textos narrativos.